04 março 2020

O NUNO, A GRETA E O RESTO

Esta história é uma minudência dos nossos políticos em Bruxelas, mas é, simultaneamente engraçada, no desfecho, para que se aprecie como as incoerências em política se conseguem encadear para que, no final, ninguém se fique a rir. Ontem, o eurodeputado do CDS Nuno Melo era dado como o cabecilha de uma rebelião que se opunha, por uma questão de coerência, à ida de Greta Thunberg ao Parlamento Europeu. Ele, com mais outros, e porque variadíssimas visitas externas haviam sido canceladas por causa do surto do coronavírus, não via quaisquer razões para que se abrissem excepções aos procedimentos, só porque se tratava de pessoa mediática.

É sempre bonito ver alguém bater-se pelas virtudes republicanas da igualdade de tratamento. Também eu, aliás, me dissocio de toda esta histeria despropositada que rodeia os périplos da miúda sueca. Mas também a verdade é que lá no Berlaymont se marimbaram: para mim e para o Nuno Melo. Hoje, e como se pode apreciar pelo vídeo da Euronews, lá estava a presidente da Comissão Ursula von der Leyen a dar graxa à visitante que é mais importante que qualquer vírus. Com tanto azar que, nos escassos dois minutos que o video tem, ainda houve tempo para, na montagem, sobrarem imagens (aos 0:28) comprovando que o grande cabecilha do boicote também lá estava presente no hemiciclo*...
Ora Nuno Melo que, no mandato anterior, se celebrizara por estar muito mal classificado no ranking dos eurodeputados, tendo faltado nomeadamente a um número incontável de votações, não podia desta vez, e como forma de protesto coerente, brindar a Greta com a sua ausência? Logo ele, que até já foi crismado como a Greta do CDS... (não sei se se lembram)

* Alguém me notou que não se chega a ver a cara de Nuno Melo, apenas o letreiro com o seu nome. O que é realmente verdade. Mas talvez a comparação da postura dessa pessoa com a assumida por Nuno Melo no momento televisivo abaixo sirva para tirar quaisquer dúvidas sobre a identidade de quem aparece por detrás do letreiro com os dizeres N. Melo.

Sem comentários:

Enviar um comentário