10 janeiro 2016

UM COMENTÁRIO MUITO OPORTUNO... QUE TANTAS VEZES EU JÁ QUIS FAZER AO COMENTADOR

Segundo li numa das redes sociais, nesta Sexta-Feira, por ocasião das celebrações do 15º aniversário da SIC Notícias, ocasião para a qual a estação convidou os candidatos à presidência da República, ter-se-á travado o seguinte diálogo entre o candidato Tino de Rans (Vitorino Silva) e Ricardo Costa, o director do Expresso:

- É um bocadinho difícil de perceber o que é que você está aqui a fazer. (Ricardo Costa)
- Eu estou aqui porque fui convidado pela SIC. (Tino de Rans)
E vai-se ao requinte de adicionar a hora em que este delicioso pedaço de diálogo foi travado (23H54). (Haja quem tenha a possibilidade e a disposição de o afixar num sítio público como o You Tube; se houve quem recentemente tivesse recuperado o saudoso - de há muito desaparecido - Assim Não de Marcelo (e da Elisa) dos tempos do referendo do aborto e que catapultou para a celebridade Ricardo Araújo Pereira).

Independentemente da malícia (quiçá involuntária) da resposta do candidato, o que me impressionou foi a pertinência da observação de Ricardo Costa e da pena que me dá que eu não a possa fazer, tão pertinente quanto ela, ao mesmo Ricardo Costa quando ele aparece naquela mesma SIC Notícias a comentar tudo e um par de botas. É um bocadinho difícil de perceber o que ele anda para ali a fazer. Costa é, com um grupo restrito de jornalistas de que escolho para exemplo apenas mais outro nome, o de Paulo Baldaia, um especialista em dizer umas generalidades sobre o assunto do momento que bem podiam ser ditas por uma de 300 outras pessoas em alternativa - talvez mesmo até o Tino... O problema é que, quando esses especialistas das trivialidades chegam às ocasiões em que, à informação há que adicionar formação, estudo e/ou cultura, espalham-se ao comprido como tive ocasião, de resto, de demonstrar há uns dias com um texto precisamente de Ricardo Costa a respeito do ensaio nuclear norte-coreano. Nisso, Ricardo Costa ou Paulo Baldaia ou aquele punhado de comentadores sempre de serviço irmanam-se em serem uns NPPN (Não Percebem de Porra Nenhuma) e nem têm a modéstia de reconhecer os riscos do ridículo a que se expõem quando isso acontece. Há tópicos em que é um bocadinho difícil de perceber o que é que eles andam para ali a fazer...

1 comentário: