03 março 2017

RODNEY KING - 26 ANOS DE UM ESPANCAMENTO «À FRENTE» DE TODOS

Há precisamente 26 anos (3 de Março de 1991), um vídeo, que foi captado pela câmara de uma testemunha mostrando uma complicada detenção de um condutor norte-americano, deu a volta ao Mundo. Aquilo que se vê não é tudo o que aconteceu. Num perfeito exemplo do que costumam ser as técnicas dilatórias para cansar o interlocutor antes de se abordar a faceta mais delicada do problema, na Wikipedia dedicam-se sete parágrafos a descrever minuciosa e preliminarmente aquilo que se ali se designa eufemisticamente por o incidente que envolveu Rodney King (o condutor): o principal é uma cena com um pouco mais de dois minutos em que este último leva um descomunal enxerto de porrada de três polícias - 33 bastonadas e ainda 6 pontapés - sem que quem a observe consiga se aperceber de uma causa que justifique a proporcionalidade daquele tratamento (abaixo). O mais irónico é que «aquilo que não passaria de mais um violento, mas rapidamente esquecido, incidente entre a polícia de Los Angeles e um suspeito não cooperante (continuamos a socorrer-nos da Wikipedia), tornou-se, graças ao vídeo, numa das mais conhecidas e debatidas ocorrências deste género». Não apenas nos Estados Unidos mas também no resto do Mundo, que se apercebia pela primeira vez que os Estados Unidos possuíam uma polícia que se comportava para com o cidadão comum como uma polícia colonial (imagem mais forte entre africanos e asiáticos) ou então como soldados de um exército de ocupação (imagem mais forte entre os europeus). Por uma vez, parecia que a opinião pública estaria formada, dispensando a intermediação da opinião publicada. Mas não foi o fim da história. Dali por catorze meses, o veredicto de absolvição dos quatro polícias envolvidos na cena iria ser o estopim de uma vaga de protestos, saques e distúrbios em Los Angeles que se arrastaram por cinco dias e que causaram mais de 50 mortos. Aquela tão citada passagem do famoso discurso de Lincoln em Gettysburg (governo do povo, pelo povo e para o povo) teve alguns dos seus dias mais sombrios...

Sem comentários:

Enviar um comentário