18 março 2017

O FIM DA REVOLTA DE KRONSTADT

Há precisamente 96 anos, a 18 de Março de 1921, era dada como terminada a Revolta de Kronstadt. A cidade de Kronstadt situa-se na ilha de Kotlin, distante uns 30 km de São Petersburgo em pleno Golfo da Finlândia e era também a base naval principal da Frota russa do Báltico. As revoluções de 1917, por causa da concentração de marinheiros, haviam-na tornado um dos expoentes do espírito revolucionário da época. Em princípios de 1921, já os bolcheviques levavam mais de três anos de poder e grassava um grande descontentamento entre as mesmas classes sociais que os haviam apoiado na sua tomada do poder. Multiplicavam-se as expressões desse mau estar, mas em 1 de Março daquele ano os marinheiros da base entraram em rebelião aberta com o poder, a novidade consistia em que o poder bolchevique, depois de se sair vencedor da oposição de direita durante a Guerra Civil, estava agora a ser atacado pela esquerda, como se comprova pelo teor das quinze resoluções dos revoltosos:
1.      Exigência da realização de novas eleições imediatas para os sovietes. Os sovietes actuais já não expressam os desejos dos trabalhadores e dos camponeses. As novas eleições devem ocorrer recorrendo ao voto secreto e devem ser precedidas de uma campanha eleitoral em liberdade;
2.      Liberdade de expressão e de imprensa para os trabalhadores e camponeses, para os anarquistas, e para os partidos socialistas de esquerda (referência aos mencheviques e aos socialistas revolucionários);
3.      Direito de reunião e liberdade plena para os sindicatos e organizações camponesas;
4.      Organização, no mais tardar até o dia 10 de Março de 1921, de uma conferência de trabalhadores, soldados e marinheiros de Petrogrado (São Petersburgo), Kronstadt e do distrito de Petrogrado que não sejam militantes do Partido;
5.      Libertação de todos os presos políticos anarquistas e de partidos socialistas e de todos os trabalhadores, camponeses, soldados e marinheiros assim como de todos os militantes de organizações operárias e camponesas que estejam presos;
6.      Eleição de uma comissão para estudar os dossiês de todos os detidos em prisões e campos de concentração;
7.      Abolição de todas as secções políticas dentro das forças armadas. Nenhum partido político deve ter privilégios para a propagação de suas ideias, ou receber subsídios do Estado para esse fim. No lugar de secções políticas vários grupos culturais devem ser criados, usando os recursos do Estado;
8.      Abolição imediata das barreiras criadas entre as cidades e o campo;
9.      Igualdade de rações para todos os trabalhadores, excepto para aqueles que executem funções perigosas ou insalubres;
10.  Abolição dos destacamentos de combate do Partido nas instituições militares. Abolição dos guardas do Partido nas fábricas e empresas. Se os guardas forem necessários, eles só devem ser nomeados levando-se em consideração a opinião dos trabalhadores;
11.  Concessão aos camponeses de liberdade de acção sobre o seu próprio solo e do direito de possuir gado, contanto que sejam directamente responsáveis por aqueles e que não utilizem mão-de-obra assalariada;
12.  Pedido para que todas as unidades militares e grupos de cadetes aspirantes se juntem a esta resolução;
13. Exigência de que a imprensa dê publicidade adequada a esta resolução;
14. Exigência da instituição de grupos de controlo operário móveis;
15.  Exigência de que a produção artesanal seja autorizada desde que ela não utilize mão-de-obra assalariada.
Apesar de se tratar de uma ilha, o contra-ataque das unidades bolcheviques processou-se como se de uma batalha terrestre se tratasse: em Março o Mar Báltico que rodeava Kronstadt estava totalmente congelado. O primeiro ataque teve lugar uma semana depois do início da revolta (7 de Março) mas fracassou. Houve que esperar outra semana e meia para que a superioridade numérica e material dos assaltantes se comprovasse no terreno. Há uma grande disparidade de números quanto ao número de baixas de um lado e doutro e quanto à severidade e abrangência da repressão. Uma conclusão clara se podia extrair do que acontecera: a revolução liderada pelos bolcheviques e por Lenin dispensava o contributo daquilo que hoje caiu no goto e se costuma designar por esquerda plural. Acessoriamente, acrescente-se que simultaneamente por coincidência, embora muito longe de Kronstadt, o Partido Comunista Português fora fundado a 6 de Março de 1921.

Sem comentários:

Enviar um comentário