16 Outubro 2009

O BOLO QUE NÃO ENGORDA

Se há uns dias me referi aqui às ostras e às nozes, socorrendo-me de um dos melhores momentos das aventuras de Astérix como exemplo para demonstrar o que considero a obtusidade que impossibilita algumas discussões sérias aqui na blogosfera, hoje será o dia de evocar um outro grande episódio dessas aventuras, o do bolo que não engorda, como evocação do descaramento de mentir à frente de todos e, ainda por cima, sobre um assunto óbvio, para depois pretender passar impune. Neste caso, mais do que na blogosfera, é sobretudo prática que abunda na política.

2 comentários:

  1. Vejo que tens analisado a Gastronomia do Asterix ao pormenor.
    Parece-me uma ideia interessante.

    ResponderEliminar
  2. Por acaso, já aqui brinquei a respeito da gastronomia em Astérix num poste intitulado "Astérix Gastrónomo".

    http://herdeirodeaecio.blogspot.com/2007/04/astrix-gastrnomo.html

    Não é bem este o caso. Aqui são aquilo que designo por grandes momentos de BD, que nestes dois casos até tinham a ver com comida. Verás que no próximo caso não tem - é mais etiqueta e boas maneiras...

    ResponderEliminar