14 fevereiro 2018

O RAPTO DE MURIEL MCKAY - UMA HISTÓRIA VERDADEIRA COMO SE FOSSE UM FILME DOS IRMÃOS COHEN

Fargo é um filme de 1996, realizado pelos irmãos Cohen. Costuma ser descrito como um policial de humor negro, a amoralidade e crueldade dos protagonistas maus só compete com a sua estupidez. O núcleo da história centra-se num rapto que seria para ser semi-encenado mas em que tudo nele acaba por correr mal. É célebre uma das cenas já no fim do filme em que um dos raptores tenta desfazer-se do corpo do seu cúmplice (que entretanto matara) e é apanhado pela polícia em flagrante a alimentar com uma das pernas (meia calçada e tudo!) um triturador de madeira...
Mas, mesmo na vida real, os raptores podem ser muito estúpidos e isso torna os raptos absurdamente anacrónicos. Em finais de 1969, houve um par de imigrantes trinidadianos no Reino Unido (os irmãos Arthur e Nizamodeen Hosein) que, depois de terem assistido a uma entrevista do magnata australiano Rupert Murdoch na televisão, se decidiram a montar um plano envolvendo o rapto da sua esposa, Anna. Para o concretizar, seguiram o seu Rolls Royce desde a sede da organização em Londres até à que previam ser a habitação do magnata, para conhecer os hábitos da família...
Só que, porque o casal Murdoch estava então na Austrália, nessa altura a viatura estava ao serviço do adjunto de Murdoch, Alick McKay e foi essa residência, situada em Wimbledon, que os dois irmãos assaltaram em 29 de Dezembro de 1969, levando consigo a dona de casa, Muriel McKay. Atente-se que, Anna Murdoch, a visada pelos raptores, tinha então 25 anos (como se pode apreciar pela foto acima), enquanto que Muriel McKay tinha então 55 (abaixo). Só se pode especular o que terá passado pelas cabeças da dupla dos raptores para terem confundido uma com a outra...
A princípio, como se percebe pela notícia inicial ou por este cartaz acima, houve confusão com o que acontecera. Muriel McKay não justificava o montante do resgate: um milhão de libras! A raptada fora um verdadeiro erro de casting. Mesmo assim, os raptores prosseguiram a sua operação e os familiares de Muriel McKay prosseguiram as negociações para recuperar a familiar. Uma das entregas acabou por fracassar e foi só à segunda, em princípios de Fevereiro de 1970, que a polícia conseguiu colectar elementos que os levaram à identificação e posterior captura dos irmãos Hosein.
Irrecuperavelmente estúpidos, mas maldosos como as personagens de Fargo, quando capturados já há muito se haviam desembaraçado de Muriel McKay e do seu cadáver, que nunca foi encontrado. Num remate adicional consentâneo com o filme, acredita-se que tenha sido dado como alimento aos porcos da quinta que ambos possuíam no condado de Hertforshire. Mas, mesmo sem o cadáver, a acumulação de outras provas era tal que a dupla acabou condenada a prisão perpétua. Segundo consta, acabaram sendo libertados e expulsos para a Trinidad natal ao fim de 20 anos.

Sem comentários:

Enviar um comentário