19 abril 2017

O TÚMULO DOS PIRI...qualquer coisa

Se repararmos no título original em inglês do filme acima (Grave of the fireflies) talvez optar por O Túmulo dos Pirilampos tivesse sido a opção mais rigorosa. Mas, como o filme é infantil e todos conhecemos o sentido dúbio que a palavra pirilampo pode assumir - recorde-se abaixo Herman José a escangalhar-se repetidamente a rir ao tentar proferir o mandamento: Não pirilamparás a mulher do próximo... - talvez tivesse sido melhor assim, sem equívocos, para crianças modernas e desinibidas: O Túmulo dos Pirilaus!

Adenda: alguém me colocou a hipótese (que eu não previra) do tradutor não ser português e ter confundido as palavras, um pirilampo por um pirilau. Se assim, alguém o esclareça rapidamente da dimensão do erro, que há um que não brilha no escuro...

4 comentários:

  1. Não há desculpa para este erro. Não se troca pirilampo por pirilau pous as duas palavras têm significados diferentes. O Herman ter gozado com a palavra pirilampo foi apenas isso, gozo, pelo facto de ser uma palavra com sonoridade semelhante mas não ter nada a ver.
    Este filme, de alta qualidade, foi destruído na sua adaptação ao português devido a um erro de palmatória do tradutor e, pior, o editor yer permitido isto sair assim.
    E o guião de dobragem? Também falará em pirilaus?
    Alguém andou a dormir...

    ResponderEliminar
  2. Afinal foi photoshop...

    ResponderEliminar
  3. pois o tradutor caso se tenha enganado, é uma coisa perfeitamente normal...
    mas os restantes milhares de portugueses que o produziram, encomendaram, distribuiram, e venderam nas lojas, nao repararam que havia algo errado??
    país de merda

    ResponderEliminar
  4. De facto, trata-se de uma fotografia "photoshopada"

    http://static.fnac-static.com/multimedia/Images/PT/NR/48/54/0b/742472/1507-1.jpg

    Mas não imaginam o prazer que me deu o tráfego inusitado que a fotografia, mesmo que falsificada, suscitou, para já não falar das indignações ultrajadas que desencadeou, como as que se podem apreciar acima, coisa que nem o poste sobre o massacre de Columbine, nem o das mentiras descaradas de Theresa May de há sete meses, almejariam alguma vez suscitar.

    ResponderEliminar