15 abril 2019

EXEMPLO DE UMA NOTÍCIA PERFEITAMENTE INÚTIL

O que torna esta notícia acima merdosa não tem nada a ver com o facto de ela se mostrar favorável à candidatura de Donald Trump. Tem a ver com o facto de ser publicada sem que haja qualquer esforço do(s) autor(es) em lhe dar um contexto, já que é óbvio que o leitor médio não tem qualquer ideia de grandeza do que será uma capacidade de arrecadação de fundos bem sucedida numa campanha presidencial. E já agora, ele(s) também não. Vai daí, o que é publicado é apenas a ressonância da propaganda da campanha para a reeleição do presidente. Por acaso, o tema da capacidade para a angariação de fundos até tem sido promovido na América, como se vê pela notícia abaixo, datada do princípio deste mês, em que o New York Times se dedica ao mesmo exercício do que acima faz o SAPO24, só que, nesse caso, o jornal americano o faz em prol do candidato democrata Bernie Sanders (no mesmo estilo opaco e merdoso, acentue-se). Tudo o que se lê a tal respeito tem que ser visto em perspectiva, a tal perspectiva que os jornalistas se esquecem sempre de adicionar. No caso, o primeiro aspecto é que os 18 milhões angariados por Sanders têm que ser comparados com os 30 milhões de Trump depois de tomar em conta que Sanders é apenas um dos mais de vinte candidatos presidenciais do lado do partido democrata, enquanto que, até agora e como é tradicional, ninguém a sério se apresentou do lado republicano para disputar as primárias com o inquilino da Casa Branca. Ou seja, Sanders é apenas um dos receptores de fundos de um dos lados, enquanto do outro existe um monopólio e é sabendo disso que se percebe que a diferença não é assim tão grande. O SAPO24 não se esqueceu de nos explicar isso - porque não foi à procura de contexto, nem falou de Sanders sequer! Como também se esqueceu de explicar de como os milhões que refere são apenas uma gota de água no que vai ser gasto nas campanhas: há quase quatro anos, em Agosto de 2015 e ainda a eleição presidencial estava a mais de um ano de distância, e o número de que se falava já nessa altura era de 250 milhões! E aí, por sinal, Donald Trump nem aparecia em lugar de destaque entre os candidatos, numa demonstração que, apesar do dinheiro dar sempre jeito, o desfecho desta competição vai ser entre votos nas urnas e não entre notas de dólar nas carteiras. Teria ficado bem ao SAPO24 enfatizar isso. Enfim, que tal teria sido pegar na peça de propaganda da candidatura de Donald Trump e, em vez de só a traduzir, aproveitá-la para escrever uma verdadeira notícia?...

Sem comentários:

Publicar um comentário