04 abril 2017

PAZ A SÉRIO EM ANGOLA

4 de Abril de 2002. Há precisamente quinze anos assinava-se um acordo de cessar-fogo em Angola. Na altura, não se pode dizer que fosse uma notícia, a História breve da Angola independente já estava cheia de acordos de paz (fotos abaixo) que haviam ficado por cumprir. Notícias a respeito haviam-se desvalorizado como os kwanzas, a moeda local. Mas este acordo, sabemos agora, veio a ser a sério. O que havia mudado: seis semanas antes desta assinatura Jonas Savimbi, o líder da UNITA, fora abatido pelas forças governamentais no mato onde se refugiara para prosseguir a guerrilha. Os factos vieram demonstrar que ele era pessoalmente o obstáculo para a paz. Ficou para a parte contrária, a de José Eduardo dos Santos, a demonstração da colossal hipocrisia das elites angolanas: durante 27 anos a guerra civil (1975-2002) fora o motivo invocado para justificar as condições deploráveis em que viviam a esmagadora maioria dos angolanos, apesar da riqueza intrínseca do seu país. 15 anos entretanto passados depois da obtenção da paz e nada a esse respeito se alterou, a não ser que os ricos se tornaram ainda mais ricos... E isso porque o MPLA que tem estado no poder é um partido que se tinha/tem reclamado do marxismo; imagine-se se fosse capitalista...

Sem comentários:

Enviar um comentário