04 outubro 2015

ME, BOBBY MCGEE AND HIGH QUALITY HEROIN


A 4 de Outubro de 1970, há precisamente 45 anos Janis Joplin morria de uma overdose de heroína. Estava em gravações num estúdio de Los Angeles. No dia anterior gravara a voz de Me and Bobby McGee. O seu dealer vendeu-lhe 50 dólares de heroína. O que ambos desconheciam era que esta era muito mais pura do que a que a cantora estava habituada, com um grau de pureza que depois se veio a estimar entre 50 a 80%, ou seja, pelo menos oito vezes mais concentrada do que aquilo que era habitual ela injectar. Normalmente, o dealer tinha um amigo janado que ensaiava as novas remessas, mas por aqueles dias desaparecera. Sorte a dele, o janado, ou azar talvez, que da sua sorte não reza a história. O que se sabe é que nesse Domingo, a carteira de clientes do dealer que fornecia Janis Joplin iria perder uma meia dúzia deles devido à mesma causa: overdose. Entre eles a própria cantora, que só foi descoberta morta no dia seguinte no quarto 105 do Landmark Motor Hotel (abaixo). É sempre uma ironia quando se percebe que estas mortes se devem ao facto do organismo do viciado não se conseguir adaptar a tanta qualidade... Me and Bobby McGee ir-se-ia tornar o mais conhecido sucesso póstumo de Janis Joplin.

Sem comentários:

Enviar um comentário