27 dezembro 2019

A INDEPENDÊNCIA DA INDONÉSIA

27 de Dezembro de 1949. Os Países Baixos concedem a independência à Indonésia. A fotografia é a do acto da assinatura por Juliana, a rainha dos Países Baixos. Ao contrário do que hoje se quer fazer crer, os holandeses não o fizeram de bom grado - como aqui recordei no blogue, ainda um ano antes os militares holandeses haviam lançado uma ampla operação para eliminar a resistência das forças militares dos nacionalistas na principal ilha indonésia de Java (Operação Corvo). O desfecho foi este porque, como também expliquei, a operação foi um sucesso militar mas foi um fracasso político. Pelas páginas dedicadas pelo Diário de Lisboa de há setenta anos, pode considerar-se surpreendente o destaque e o desenvolvimento concedido por um jornal português ao acontecimento, considerada a censura e a política colonial portuguesa de então. Com esta saída dos holandeses e depois do abandono prévio por parte dos britânicos da Índia (1947), e ainda descontando as pequenas possessões portuguesas da Índia, Macau e Timor, apenas restaria a França como grande potência colonial no Extremo Oriente, nomeadamente na Indochina. Aproveitando a ocasião e pretendendo deflectir as atenções e colocar-se a par do ambiente, a França aproveitava para anunciar (trecho assinalado a vermelho) «a transferência da soberania das autoridades francesas na Indochina para as do Vietname». Como que por semelhança, a cerimónia de transferência do poder para o governo do ex-imperador Bao-Dai iria ter lugar no próximo dia 30, em Saigão. Obviamente, era tudo a fingir.

Sem comentários:

Enviar um comentário