05 julho 2015

EUROPA: A EXTREMA DIREITA E A EXTREMA-QUÊ


Para além das concordâncias ou discordâncias que este discurso provoque, o que se torna para mim confuso é que não é raro posições análogas às deste eurodeputado conservador eurocéptico serem classificadas pela terminologia predominante na comunicação social europeia alinhada como sendo de extrema-direita. Contudo, ainda outro dia consegui ver João César das Neves, num programa televisivo (As Palavras e os Actos de 25 de Junho, na RTP, aos 5:00 - um bom programa), considerar-se distinto dos duros (sic), os tais que querem que a Grécia pague tudo, com juros e se calhar mais um bónus adicional aos credores pelos incómodos que têm vindo a causar. Para além da surpresa de descobrir que João César das Neves é afinal um moderado e que conhece pessoas ainda mais duras do que ele, é caso para perguntar (agora a sério), para estas classificações de direita e esquerda, com ou sem extremismos, ele e os amigos ainda mais duros serão de extrema-quê?

Sem comentários:

Enviar um comentário